Acerca de mim

A minha foto
Oliveira do Hospital, Coimbra, Portugal
A Biblioteca Municipal situa-se no Largo Ribeiro do Amaral em pleno coração da cidade. A inauguração do atual edifício aconteceu a 10 de junho de 2011. A Biblioteca tem um horário de funcionamento alargado: abre portas de segunda a sexta-feira, às 9h e encerra às 19h. Aos sábados o horário é das 9h às 13h encerrando aos domingos e feriados. Quem visita a Biblioteca Municipal tem à sua disposição vários espaços: o espaço infanto-juvenil que integra uma ludoteca; espaço de adultos com um espaço destinado à leitura presencial de periódicos; o auditório serve de palco a variadas atividades (formações, workshop´s, dissertações, lançamento/apresentação de livros de autor). A Biblioteca Municipal disponibiliza ainda acesso gratuito à internet em ambos os pisos. É visitada, em média, mensalmente por cerca de 800 a 1000 utilizadores, realizando-se por mês cerca de quatro actividades para crianças e outras tantas para os adultos. A Biblioteca Municipal é um espaço público destinado à formação de uma comunidade e aberto a todos os quantos a queiram visitar.
Manuel Madeira Teles



Nasceu no lugar da Coitena (Bobadela), subúrbios e Oliveira do Hospital, a 31 de Janeiro de 1872, tendo falecido na nossa Vila em 15 de Dezembro de 1945.

Estudou em Coimbra, tendo-se relacionado com artistas admiráveis e já então afamados, entre os quais avulta o seu bom amigo e extraordinário poeta António Nobre, que lhe dedicaria a célebre “Carta a Manuel”, que figura no “Só”.

Em Lamego, convive intimamente com o poeta Fausto Guedes Teixeira. Exemplar funcionário da Secção de Finanças, recebe numerosos votos de louvor.

No campo profissional, elabora valiosos estudos fiscais e administrativos, como sejam: “A Contribuição Predial”, “Concursos” e “A Evolução no nosso Sistema Tributário”.

Foi jornalista de mérito, colaborando em numerosos jornais. Em Oliveira do Hospital, funda e dirige: “Voz da Beira” e “Gazeta da Beira”.

Quando à sua obra poética, legou-se os bonitos poemas: “ Em Romagem”, “Portugueses a El-Rei D. Manuel II”, “Carta a uma noiva” e “Na ortiga”. Muitos versos publicou ainda nos jornais de que foi colaborador, contudo, compilados. É autor ainda de “Livros do Coração”, por ventura, o melhor expoente da sua obra poética.

Como seu continuador tivemos o seu filho Manuel Cid Teles, também poeta.


Bibliografia

- Concursos, 1932, (ed. Tipografia Lamego)
- Sonetos, 1994, (Edição póstuma)


Sonetos

Sem comentários:

Enviar um comentário